Quem Sou‎ > ‎Minhas Composições‎ > ‎

Minhas Poesias


Recente

  • O Trem Tem Que Voltar!

    Pensamentos trazem saudades
    saudades que me convém
    Muitas histórias já se fizeram
    sobre os trilhos que ainda têm
    Muitas famílias se mantinham
    pela passagem do trem

    Dona Maria vendia biscoito
    Seu Manoel, as brevidade
    O imbu era fruta símbolo
    de tudo quanto é cidade
    O cafezinho na estação, ai
    era tempos de verdade

    O trem tem que voltar
    pros trilhos do meu sertão
    O trem tem que apitar
    chamando a população
    O trem não quer ficar
    parado na estação
    O trem tem que voltar
    pros trilhos do meu sertão

    Demorada era a viajem

    no ventre da Maria Fumaça
    A natureza era sempre bela
    rica em pesca, rica em caça
    Só se via a mata virgem
    e não se via ameaça

    O povo contava causos
    até mesmo assustador
    Muitas vezes era mentira
    história de pescador
    Também tinha violeiro, ai
    repentista e cantor

    O trem tem voltar
    com vapor e emoção
    O trem tem que apitar
    em comemoração
    O trem não quer ficar
    somente no coração
    O trem tem que voltar
    com vapor e emoção

    E o trem já foi passando
    e com ele o meu sertão
    Hoje ouço o apito do trem
    só de fora da estação
    Se ele passa na minha frente
    dá um aperto no coração

    O trem não leva mais passageiro
    alguém nos fez essa maldade
    Com a tal da urbanização
    minha roça virou cidade
    O trem agora só tem carga, ai
    e o passageiro só saudade

    O trem tem que voltar

    isso não é só canção
    O trem tem que apitar
    em reivindicação
    O trem não quer ficar
    na foto de recordação
    O trem tem que voltar
    isso não é só canção

    Postado em 28 de abr de 2012 22:24 por Erisvaldo Ferreira Silva
Exibindo postagens 1 - 1 de 31. Exibir mais »

O Trem Tem Que Voltar!

postado em 28 de abr de 2012 22:19 por Erisvaldo Ferreira Silva   [ 28 de abr de 2012 22:24 atualizado‎(s)‎ ]


Pensamentos trazem saudades
saudades que me convém
Muitas histórias já se fizeram
sobre os trilhos que ainda têm
Muitas famílias se mantinham
pela passagem do trem

Dona Maria vendia biscoito
Seu Manoel, as brevidade
O imbu era fruta símbolo
de tudo quanto é cidade
O cafezinho na estação, ai
era tempos de verdade

O trem tem que voltar
pros trilhos do meu sertão
O trem tem que apitar
chamando a população
O trem não quer ficar
parado na estação
O trem tem que voltar
pros trilhos do meu sertão

Demorada era a viajem

no ventre da Maria Fumaça
A natureza era sempre bela
rica em pesca, rica em caça
Só se via a mata virgem
e não se via ameaça

O povo contava causos
até mesmo assustador
Muitas vezes era mentira
história de pescador
Também tinha violeiro, ai
repentista e cantor

O trem tem voltar
com vapor e emoção
O trem tem que apitar
em comemoração
O trem não quer ficar
somente no coração
O trem tem que voltar
com vapor e emoção

E o trem já foi passando
e com ele o meu sertão
Hoje ouço o apito do trem
só de fora da estação
Se ele passa na minha frente
dá um aperto no coração

O trem não leva mais passageiro
alguém nos fez essa maldade
Com a tal da urbanização
minha roça virou cidade
O trem agora só tem carga, ai
e o passageiro só saudade

O trem tem que voltar

isso não é só canção
O trem tem que apitar
em reivindicação
O trem não quer ficar
na foto de recordação
O trem tem que voltar
isso não é só canção

O Maior Erro Lógico Brasileiro

postado em 13 de set de 2010 15:55 por Erisvaldo Ferreira Silva   [ 13 de set de 2010 15:57 atualizado‎(s)‎ ]

"cara ou coroa" - assim devo dizer

"ordem ou progresso" - é o que pode acontecer

"cara e coroa" - numa mesma face não podem existir

"ordem e progresso" - isso só existe por aqui

 

Uma frase sem lógica

no ponto mais alto do congresso

liderando nossos guerreiros

a um futuro incerto

Carnívoros

postado em 13 de set de 2010 15:54 por Erisvaldo Ferreira Silva

Entre músculos e ossos

encontra-se a mais macia carne

um fardo de carne fresca

exalando seu futuro sabor

o sabor da carne crua

 

o sabor saboroso do sangue na boca

o sabor de saber

o sabor de reter o saber

o sabor saboroso de saber reter o saber

 

sem saber que a mesma carne crua

que exala o som da morte

outrora exalou vida

que morreu para a nossa sorte

para a nossa vida

para a nossa morte

O Pássaro e a Pipoca

postado em 13 de set de 2010 15:52 por Erisvaldo Ferreira Silva

Vi um pássaro pousar no chão

comer pipocas que ali existiam

Um gostoso lanche dominical

(mesmo que hoje não seja domingo)

os pássaros sempre faziam

 

Mas a alegria dos bichinhos durava pouco

pois, por ali, crianças corriam

 

Os garotos correram por ali

passarinho voou pra não ser massacrado

as pipocas que ali ficaram

impossível de comer se tornaram

 

O coitado do pássaro, faminto

foi procurar mais pipoca

do outro lado da praça

A Criação

postado em 13 de set de 2010 15:35 por Erisvaldo Ferreira Silva

Pegue um papel e dobre sem parar

pegue uma tesoura e comece a recortar

imagine um forma e a veja multiplicar

 

Um só papel, uma só tesoura

e mãos a criar

 

Pegou o barro e Amassou sem parar

Retirou um costela e Começou a soprar

Admirou toda a terra e Começou a Povoar

 

Um só barro, uma só costela

e mãos a nos criar

Esfera

postado em 13 de set de 2010 15:34 por Erisvaldo Ferreira Silva

Minha amiga esfera

que além de tão bela

esconde segredos tão bem

me revela teus mistérios e me digas

quantos lados você tem

 

Para que sentido tu olhas

Aliás

onde estão os teus olhos?

 

Minha amiga esfera

Multicor

que revelas a vida ao averso

sem fim ou sem começo

oh, esfera

sem cor

 

Orgulhosa ao girar em volta de si mesma

e tenebrosa ao girar em torno de qualquer um

esplendorosa em seus movimentos

numa órbita qualquer

 

Cuidado, oh desajeitada

que cai se, os teus "pés", o solo se inclina

sem asas voas graciante

mas se quebra

feito diamante

Cidade

postado em 13 de set de 2010 15:33 por Erisvaldo Ferreira Silva

Cidade cresce, cidade aquece

com suas belas praias e coqueirais

Cidade ausente, cidade descrente

cheia de nódulos e flósculos transversais

Cidade do eterno, cidade do terno

cidade do eterno terno vestidos pelos nosso pais

Mais uma vez

postado em 13 de set de 2010 15:31 por Erisvaldo Ferreira Silva

Mais uma vez o Sol se vai

Mais uma vez o Sol se pôs

Mais uma vez

 

Mais uma vez você sorriu

Mais uma vez você sentiu

Mais uma vez

 

O Sol que nasce no horizonte

e se pões logo a seguir

não nos dá tempo de pensar

não nos dá tempo de agir

 

Mais uma vez me sinto mal

faltando algo, não é normal

Mais uma vez

 

Tento me lembrar do que passou

Mas,

Mais uma vez

me esqueci

 

Tento entender o que está acontecendo

"por detrás do Sol"

 

Mais uma vez

Ortopoesia

postado em 13 de set de 2010 15:31 por Erisvaldo Ferreira Silva

Um adeus talvez não basta

e não basta rogar a Deus sem fé

Talvez uma terapia mesmo que desajeitada

possa nos manter sempre de pé

U Imbú

postado em 13 de set de 2010 15:25 por Erisvaldo Ferreira Silva

"umbigo" podi inté sê,

máizi,

"umbú"?!?!

num queru néim sabê.

 

é IMBÚ mermo.

1-10 of 31